11 4727-4949
Acompanhe-nos nas redes sociais:
11 4727-4949
Como chegar

Notícas



por página
Exibir:


04/12/2017
Citroën C3 R5 no Rali do Var antevê futuro promissor
O prometido é devido, e tal como já tínhamos anunciado aqui, a Citroën aproveitou o Rali do Var para fazer a primeira aparição pública daquela que será a sua nova arma para o mundial — e não só — de ralis, o Citroën C3 R5. A última prova do campeonato de França de Ralis foi a escolhida para também dar continuidade aos testes de desenvolvimento do novo carro. Yoann Bonato e Benjamin Boulloud, que comemoram o título de Campeões de França após alcançarem quatro vitórias com o Citroën DS3 R5, estrearam agora o novo produto da Citroën Racing. A totalidade das três etapas da prova serviu para o piloto “tirar as medidas” ao novo carro  e testar várias regulações diferentes. "Não tivemos qualquer pressão da concorrência, pelo que nos divertimos muito ao volante do Citroën C3 R5 no fim de semana. O produto já se encontra muito desenvolvido e a variedade de estradas do Rali do Var permitiu-nos experimentar diferentes regulações", Yoann Bonato, piloto Citroën Racing. Com um aspeto bem apelativo e decoração inovadora, o Citroën C3 R5 não deixou ninguém indiferente tendo sido o alvo das atenções ao longo de quase toda a prova, apesar de não pontuar. "Após a excelente temporada que fez no Campeonato de França era lógico que Yoann Bonato estivesse ao volante do C3 R5 nesta sua primeira aparição pública. Trocando-se a habitual 'camuflagem' por uma decoração que enfatizou o design do carro, desencadeamos uma onda de entusiasmo entre o público, bem como entre os muitos potenciais clientes, que se mostraram muito interessados neste produto." Yves Matton, Diretor da Citroën Racing. Tecnicamente, o novo Citroën C3 R5 introduz pela primeira vez uma transmissão de comando manual, medida imposta por uma recente mudança no regulamento, mas que permitiu a Yoann Bonato terminar 14 classificativas sem registar qualquer problema. Depois de mais algumas sessões de intensivos testes para apurar e fiabilidade e performance do novo carro, o passo seguinte será o processo de homologação da FIA. "Para além do interesse suscitado junto do público e entre a comunidade do automobilismo, esta participação no Rali de Var trouxe-nos uma enorme satisfação em termos técnicos. Sem encontrar problemas de fiabilidade, fomos capazes de trabalhar com serenidade em diferentes configurações, adaptando o carro aos diferentes tipos de estrada, umas vezes suaves, outras muito acidentadas." Pierre Budar, Diretor de Desenvolvimento de Veículos Competição/Cliente. Fonte: www.razaoautomovel.com
Ler mais
04/12/2017
Teste: Citroën C4 Picasso e Grand C4 Picasso, as minivans raiz
Pai, mãe, dois filhos (um no cadeirão, outro no assento elevado), babá, sogro, sogra… Viu como nem é tão difícil assim lotar um carro de sete lugares? Pois bem, a Citroën viu. Remando contra o tsunami global dos SUVs (que não raramente também têm sete lugares), a marca francesa segue como uma das poucas a apostar nas minivans. E agora parece que vai colocar mais fichas na jogada: com as renovadas C4 Picasso (cinco lugares) e Grand C4 Picasso (sete lugares), ela pretende vender 1.000 unidades por ano. Nem é tanto assim, mas já representa um grande salto em relação às pífias 218 comercializadas em 2016. Fabricadas em Vigo, na Espanha, as minivans chegam às concessionárias do Brasil no fim de maio. Nem mesmo o facelift discreto e a exibição durante o Salão do Automóvel de São Paulo, no fim de 2016, diminuem o brilho dessa dupla. Nas ruas, muita gente as seguiu com os olhos, numa outra prova de que elas ainda despertam interesse. Se chamou a sua atenção também, prepare o bolso: o preço varia dos R$ 121.400 da C4 Picasso básica aos R$ 167.400 da Grand C4 Picasso completa. A motorização é velha conhecida do brasileiro: o confiável 1.6 THP de 165 cv a gasolina. Com turbo, intercooler e injeção direta, funciona acoplado a uma transmissão automática de seis marchas, formando uma dupla bastante eficiente, ou seja, econômica quando administrada com suavidade e bem disposta quando exigida. Na pista, ambas aceleraram de 0 a 100 km/h abaixo dos 10 segundos, com consumo superior a 10 km/l na cidade e de cerca de 13 km/l na estrada. Como é de se esperar de um veículo tipicamente familiar, a suspensão privilegia o conforto, embora o conjunto traseiro trabalhe um tanto ruidoso. Lado a lado, as diferenças entre as versões de cinco e sete lugares estão a partir da porta traseira. No perfil, a janela extra delimita bem a extensão que permitiu a instalação do par de bancos extras. O modelo de cinco lugares tem 4,43 metros de comprimento e 2,79 de entre-eixos. O maior mede, respectivamente, 4,6 e 2,84 metros. Saindo do perfil e chegando à traseira é que surgem as grandes diferenças. O de cinco lugares, direcionado a um público mais jovem, tem um estilo mais esportivo, com lanternas horizontais. No de sete, a Citroën optou por um conjunto óptico de contorno sinuoso. Ao contrário do que se imagina, o acesso à terceira fileira de bancos é fácil, pois a fila central corre sobre trilhos e tem bancos individuais e dobráveis – mesmo a versão de cinco lugares conta com essa facilidade. Minivans de raiz, as C4 Picasso têm na modularidade e no espaço as suas grandes armas. Soluções como porta-objetos no assoalho e bandejas no encosto dos bancos, claro, têm presença garantida. Até o câmbio colabora para reservar mais espaço para as pessoas, com sua alavanca seletora de marchas na coluna de direção, junto ao volante. No porta-malas, o volume varia em função da posição dos bancos: de 537 a 630 litros na de cinco lugares e de 130 a 704 litros na de sete. Com a segunda fileira avançada e a terceira recolhida, ou seja, com bancos armados para cinco ocupantes, o volume máximo é de 575 litros. Cedidas para teste em suas versões mais completas, as duas minivans impressionam pelo elevado nível de itens de tecnologia, segurança e conforto. Entre os equipamentos: telas de 7 e de 12 polegadas, faróis de xenônio direcionais, reconhecimento de leitura de placas de velocidade, sistema ativo de auxílio de estacionamento, bancos dianteiros com ventilação e massagem e teto panorâmico fixo. E aí, seu planejamento familiar e a sua garagem têm espaço para uma dessas minivans? Veredicto Bonitas, completas, espaçosas e eficientes, as novas C4 têm todas as armas para enfrentar os SUVs de cinco e sete lugares. Só perdem em um ponto (crucial): são minivans, não SUVs. Preço das versões de 5 e 7 lugares Seduction Faróis de neblina, ar dualzone, sensor de farol, rodas 17, multimídia com tela de 7 polegadas, freio de estacionamento elétrico, assistente de rampa, controle de tração e estabilidade. R$ 121.400 (5 lugares) R$ 131.400 (7 lugares) Intensive Seduction mais teto panorâmico, lanternas de led, faróis auxiliares de curva, faróis de xenônio, tela extra de 12 polegadas, câmera de ré, chave presencial. R$ 132.000 (5 lugares) R$ 142.000 (7 lugares) Intensive Confort Intensive mais bancos com couro e tecido, sistema de câmera 360 graus, alerta de ponto cego. R$ 141.900 (5 lugares) R$ 152.500 (7 lugares) Intensive Luxe Intensive Confort mais bancos de couro, sistema de reconhecimento de placas de velocidade, sistema de alerta e correção de desvio involuntário de faixa, farol alto automático, tela nos apoios de cabeça dianteiros. R$ 152.000 (5 lugares) R$ 167.400 (7 lugares) Teste de pista (com gasolina) FONTE: www.quatrorodas.abril.com.br
Ler mais
28/11/2017
CITROËN C3 AIRCROSS É FINALISTA DO COTY 2018
O júri europeu do “Carro do Ano” acaba de oficializar os nomes dos 7 modelos que escolheu, de entre os 37 automóveis inicialmente elegíveis, e o novo SUV compacto Citroën C3 Aircross encontra-se nesse grupo de finalistas desta prestigiada competição. O “Carro do Ano 2018” será anunciado no dia 5 de Março, em véspera do Salão Automóvel de Genebra. Como acontece todos os anos desde 1964, a Comissão Organizadora da iniciativa “Car of the Year” elege aquele que considera ser o automóvel do ano. São 60 os jornalistas oriundos de 23 países europeus – grupo que inclui 2 jurados portugueses – que participam nesta votação, avaliando os vencedores com base em critérios como a relação qualidade/preço, design, conforto, segurança, tecnologia e desempenho ambiental. O Citroën C3 Aircross integra o grupo dos 7 finalistas e disputa, assim, o galardão de “Carro do Ano 2018”. Com uma morfologia original e transmitindo uma imagem de diferenciação, o novo C3 Aircross, modelo lançado em Outubro último, totaliza já mais de 25.000 encomendas na Europa. O novo SUV francês cativa os seus clientes pelo seu habitáculo, resultante do savoir-faire da Citroën em termos de espaço a bordo, de modularidade e de luminosidade. Oferecendo um elevado nível de conforto e de segurança, o modelo integra 12 tecnologias de apoio à condução e 4 tecnologias de conectividade, para além de ter alcançado uma avaliação de 5 estrelas nos testes Euro NCAP. Com 426.000 unidades matriculadas na Europa no final do primeiro semestre de 2017, representando um aumento de 5,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, a Citroën ultrapassou o seu volume recorde de há 6 anos. Um ano depois do lançamento do novo C3, best-seller da gama Citroën e que totaliza mais de 200.000 vendas desde o seu lançamento, o Citroën C3 Aircross surge como parte do processo de renovação da marca, permitindo que a Citroën prossiga a sua trajectória rumo aos resultados pretendidos. Após nova ronda de testes comparativos entre os 7 finalistas, a realizar até Fevereiro de 2018, o modelo que somar maior pontuação alcançará este prestigiado título, vendo-se depois oficialmente coroado a 5 de Março, na véspera da abertura do Salão Automóvel de Genebra. Fonte: www.garagemglobal.com
Ler mais
23/11/2017
Jumpy é furgão completão da Citroën por R$ 87.990
ACitroën começa a comercializar no Brasil o seu furgão Jumpy. O modelo tem as mesmas características técnicas do irmão Peugeot Expert, ambos fabricados pelo Grupo PSA na Europa e, para o mercado da América Latina, estão sendo montados na fábrica da Nordex em Montevidéu, no Uruguai. O preço inicial é de R$ 79.990 para a versão básica, mas que já vem bem equipada, com controle de estabilidade, auxílio de partida em rampa, airbas duplo, ABS, protetor de cárter, volante e banco do motorista com regulagens, piloto automático, indicador para troca de marcha, rádio AM/FM com entrada para MP3, vidros e travas com acionamento elétrico, tomada 12V e separador de carga. Por R$ 87.990, há a opção da versão Pack, incluindo os seguintes equipamentos: Moduwork (amplia o espaço de carga), ar-condicionado, retrovisores elétricos, plip compartimento de carga (travamento separado das portas de passageiros e de carga), vidros com função um toque, tomada 12V no compartimento de carga, faróis de neblina e encosto do banco central com encosto tipo prancheta). Paulo Solti, diretor geral da Citroën, chama a atenção para o preço competitivo. “A VW Kombi foi o veículo mais competitivo por causa do seu preço competitivo. Se ela ainda fosse comercializada, o seu preço atualizado seria de R$ 68 mil. O Jumpy entrega muito mais, como motor turbo diesel, equipamentos de segurança e maior capacidade de carga por pouco mais que custaria uma Kombi hoje”, compara. Assim como no Peugeot Expert, o Citroën Jumpy é equipado com motor turbo diesel 1.6 Blue HDi com 115 cv de potência e torque de 30 mkgf com tecnologia Euro 6. O câmbio é manual de seis marchas e os freios são a disco ventilados no eixo dianteiro e disco no traseiro. O compartimento de carga tem capacidade para 6,1 m3 na versão de entrada e de 6,6 m3 na Pack, com o opcional moduwork (uma abertura para objetos de até 4,02 m de comprimento sobre o assento do banco do passageiro. O acesso ao espaço de carga pode ser por uma porta lateral deslizante ou pelas portas traseiras que permitem abertura de 180º para facilitar o acesso por empilhadeiras. Estratégia da Citroën Assim como a Peugeot, a Citroën promete um pós-venda diferenciado para o Jumpy, inclusive com preços fixos para revisões e garantia de três anos sem “pegadinhas” como a garantia do Hyundai HR, que não cobre 100% do veículo no período de garantia e conta com várias exceções acrescentada no decorrer do tempo. Chamado de Compromissos Citroën Pro, a marca garante revisão em um dia e prioridade para o Jumpy, facilidade de pagamento de peças e serviços e oito anos de assistência 24h gratuita com reboque. Atualmente, 15 concessionárias Citroën contam com setor de atendimento exclusivo para atendemento de clientes de veículos comerciais. A meta é chegar a 30 cidades com o Citroën Business Center até 2020. Porém, a venda e assistência técnica não será exclusiva desta rede, mas por todas as autorizadas Citroën. Nuno Coutinho, diretor de marketing da Citroën, ressalta que funcionários das 106 concessionárias da marca receberam treinamento para o atendimento do público profissional. Coutinho acrescenta que mais dois furgões serão lançados, o novo Jumper e o compacto Berlingo, além de novas versões do Jumpy. Esses modelos já foram vendidos no Brasil e retornarão no mesmo padrão tecnológico que é vendido para os europeus. O objetivo da Citroën é ter 10% do mercado de furgões no Brasil e, sem dúvida, vender mais do que Mercedes-Benz Vito, que teve 321 unidades emplacadas de janeiro a agosto desde ano. No entanto, tanto Citroën e Peugeot vão buscar também clientes do Hyundai HR que compram o chassi cabine para implementação de baú. O HR é mais barato, porém, com o custo do baú ele fica mais caro do que o Jumpy. Fonte: www.transportemundial.com.br
Ler mais
06/10/2017
Citroën C4 Lounge perde versão manual (e mais barata)
Se você pensava no C4 Lounge Origine, único sedã com motor turbo e câmbio manual do mercado, como uma opção, pode esquecer. Já fora do configurador da Citroën, a versão deixa de ser oferecida, ficando em linha apenas as versões com câmbio automático, Tendance, Série S e Exclusive. A partir disso, os preços do C4 Lounge vão de R$ 89.990 a R$ 99.790. Fabricado na Argentina, o C4 Lounge já roda camuflado pelo país vizinho, escondendo uma leve reestilização exterior – inspirada no modelo vendido na China. Junto com o primo Peugeot 408, é oferecido com motor 1.6 turbo flex, o THP, com até 173 cv. Até então, poderia ser comprado com o câmbio manual de 6 marchas, único do segmento com esta configuração (o Honda Civic Sport usa motor 2.0 aspirado), mas não obteve sucesso. Agora, apenas com transmissão automática. Fonte: arquivo Motor1.com Brasil
Ler mais
06/10/2017
Novo Citroën C3 Aircross é testado na França
A Citroën reconheceu a força dos SUVs no atual mercado automotivo. Tanto que, na terceira geração, decidiu transformar o modelo derivado do compacto C3 de monovolume familiar para crossover aventureiro. Ou seja: sai o C3 Picasso e entra o Aircross _ processo que ocorreu no Brasil na segunda geração do compacto. Como diferencial, a fabricante investiu pesado no design e, no modelo que acaba de chegar às concessionárias europeias, oferece 85 possibilidades de combinações de cores para personalização, tanto para o exterior quanto para o interior. Estilo para dar e vender. O design do novo C3 Aircross é decididamente original. Não foram inseridos os “airbumps” que surgiram no Cactus, mas o C3 dispõe de alguns elementos distintivos na última coluna feitos de policarbonato para “quebrar” a visão externa em relação ao conteúdo da bagagem no porta-malas _ útil para quem carrega objetos de valor. A frente tem aparência agressiva, com a linha do capô sendo cortada pela grade que contém o “double chevron” da Citroën e que se alinha às luzes diurnas em leds. Já os faróis principais vêm com máscara negra e moldura de cor diferenciada. As rodas têm pintura diamantada em preto brilhante e podem ser de 16 ou 17 polegadas. Por dentro, muito espaço. Com todos os bancos em estado normal, a capacidade de carga é de até 520 litros. Porém, se forem rebatidos os bancos traseiros, o volume pode chegar aos 1.289 litros. O banco do passageiro da frente também oferece opção de rebatimento e permite que objetos de até 2,4 m de comprimento sejam carregados dentro do carro. Em relação ao painel de instrumentos, os controles são de fácil manuseio e estão todos ao alcance. Tudo controlado por uma tela sensível ao toque localizada logo abaixo das saídas centrais de ar. No mercado europeu, o novo Citroën C3 Aircross possui cinco opções de motores. Três são da família PureTech a gasolina, um aspirado e dois turbo, com 82, 110 e 130 cv. Outras duas motorizações são a diesel, da gama Blue HDi, de 100 e 120 cv. O câmbio pode ser manual ou automático de seis velocidades. O modelo não conta com sistema de tração 4X4, mas algumas assistências são oferecidas: o carro tem abertura e ignição que dispensam o uso da chave (keyless), assistente para estacionamento, frenagem automática de emergência, sensores de ponto cego, reconhecimento de limites de velocidades, alerta de faixa de rolamento, câmara de ré e assistente para partida em rampas. No Brasil, o modelo segue na geração anterior, com a já conhecida configuração de carroceria monovolume e estética aventureira. Ainda não há planos para a vinda da nova geração para cá.  Fonte: www.tribunademinas.com.br
Ler mais
03/10/2017
Segredo: Citroën C4 Cactus chega no começo de 2018
Modelo será fabricado em Porto Real (RJ) e terá design que ainda não estrou na Europa. A Citroën vai lançar o C4 Cactus no Brasil no começo de 2018. O modelo será fabricado em Porto Real (RJ) e terá o design igual ao da versão francesa (que será reestilizada no final deste ano). Primeiro SUV compacto da Citroën, o Cactus é baseado na plataforma PF1, a mesma de C3, DS3 e Aircross. Mas é maior que eles: são 2,60 m de entre eixos, contra os 2,46 m do C3 e os 2,54 m do Aircross. É maior, inclusive, que o Peugeot 2008, que usa a mesma base. Mas a grande vantagem do C4 Cactus sobre o irmão 2008 é outra: tanto o motor 1.6 aspirado de 122 cv como o 1.6 THP (turbo com injeção direta) serão oferecidos no carro brasileiro com o câmbio automático de seis marchas da Aisin, que não pode ser instalado no 2008. Lançado na Europa em 2014, o Citroën C4 Cactus chegará ao Brasil já reestilizado. Mesmo camuflado é possível ver que a tomada de ar central está diferente e há uma grade falsa na altura dos DRLs. Afinal, os faróis são divididos em duas peças, como na Fiat Toro e no C4 Picasso. O C4 Cactus nacional também perderá as bolsas de ar emborrachas (Airbumps) nas portas, que eram sua marca registrada. Mesmo na Europa, essas peças serão menores após a reestilização. Também podemos esperar mudanças no interior ao carro oferecido no velho continente. O painel do modelo atual é bastante simples, baixo e com a tela que faz a a função de quadro de instrumentos saltada. Também não há alavanca de câmbio: a caixa automatizada oferecida na Europa é operada por botões no console. O porta-luvas fica na parte superior do painel e, por isso, o airbag do passageiro sai do teto. Isso tem explicação: na Europa, o C4 Cactus é um carro simples.  No Brasil, porém, o Cactus ocupará a faixa de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Por isso, é bem provável que o carro brasileiro tenha interior mais convidativo. Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Ler mais
13/09/2017
Salão de Frankfurt: Citroën mostra o C4 Picasso
A minivan possui um motor potente: 1.6 com 165 cv de potência a 6 mil rpm. A Citroën apresenta o C4 Picasso 2018 com mudanças sutis nos para-choques e grade, mas com a adição de mais itens ao pacote de tecnologia. Entre eles está o alerta de mudança de faixa que, em uma velocidade acima de 60 km/h, interfere no volante e o de cansaço, além de monitor de ponto cego e leitura de placas de trãnsito. Na questão conforto, os bancos possuem massagem e uma bandeja como a dos aviões. E quanto ao espaço, os assentos deslizam e podem ser rebatidos individualmente, permitindo aumentar o porta-malas. Em relação à parte mecânica, o motor 1.6 THP, de quatro cilindros, garante uma potência de 165 cv a 6 mil rpm. O câmbio é automático de seis marchas. E a direção é elétrica. Fonte: www.diariodepernambuco.vrum.com.br
Ler mais
12/09/2017
Salão de Frankfurt: C3 Aircross é apresentado pela Citroën
Por enquanto, o utilitário compacto é voltado apenas para o mercado europeu. A Citroën promoveu a estreia do C3 Aircross, modelo que, por enquanto, é exclusivo para o mercado europeu. O SUV compacto possui um total de 12 itens que auxiliam o motorista na condução. Entre eles, estão o assistente de estacionamento e o head-up display. O modelo ainda conta com a mais nova central multimídia da marca. Ainda no interior do carro, os cinco bancos são individuais e podem ser rebatidos, oferecendo a opção de levar objetos de até 2 metros na cabine do utilitário. E o porta-malas, originalmente de 410 litros de capacidade, pode ser capaz de acomodar 520 litros a depender da configuração dos assentos. O C3 Aircross ainda possui teto solar panorâmico, rodas de liga leve e skid plate nos para-choques, compondo um estilo forte. Fonte: www.diariodepernambuco.vrum.com.br    
Ler mais
01/09/2017
Destinado para a Europa, Citroën apresenta o inédito C3 Aircross
Quando procurada pelo AUTOO, a Citroën faz questão de bater na tecla de que ele será destinado exclusivamente aos europeus, mas sem dúvida nenhuma o modelo se sairia bem onde quer que fosse oferecido.   Estamos falando do inédito C3 Aircross, modelo que estreará neste mês durante o Salão de Frankfurt e busca posicionar de uma forma melhor a Citroën no segmento dos SUVs compactos.   A novidade conta com 4,15 m de comprimento, portanto é ainda um pouco menor do que os representantes da categoria aqui no Brasil, onde é necesário oferecer bom espaço interno e capacidade de carga no porta-malas. Um Honda HR-V, por exemplo, tem comprimento na casa de 4,30 m.   Mas o ponto forte do novo C3 Aircross é investir em uma constelação de assistentes de condução, 12 ao todo segundo a Citroën, contemplando assistente de estacionamento, head-up display, dentre outros. Além disso, ele também cuida muito bem da conectividade com a central multimídia mais recente da marca e oferece a possibilidade de carregamento por indução para smartphones.   Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Citroën C3 Aircross Mesmo com o tamanho sem exageros, a Citroën promete uma “modularidade incomparável” dentro da categoria para o C3 Aircross. Os 5 assentos são individuais e até mesmo o do passageiro dianteiro pode ser dobrável, permitindo acomodar objetos de até 2,40 m na cabine do SUV. Ponto positivo também para o porta-malas, que oferece 410 litros de capacidade podendo atingir até 520 litros dependendo da configuração dos bancos.   O modelo ainda conta com teto solar panorâmico e um visual bem robusto, com skid plate nos para-choques dianteiro e traseiro, rodas de liga leve com um tamanho destacado e arcos de prolongamento dos para-lamas.   De qualquer forma, mesmo com a Citroën do Brasil destacando que o Aircross nacional por aqui registrou um crescimento de 16,8% entre janeiro e julho na comparação com o mesmo período de 2016, é bom ficarmos de olho no inédito C3 Aircross, já que ele mostra-se um produto bem interessante. Até o momento, apesar da Citroën também não bater o martelo oficialmente, a francesa deverá nacionalizar o C4 Cactus, um produto interessante para atuar no segmento de Jeep Compass e cia. Fonte: www.autoo.com.br
Ler mais

Anterior
Próximo
1 / 2
Citroën
Mogi das Cruzes
Rua Ipiranga, 1220
Citroën
São Paulo
Avenida São Miguel Paulista, 8479