Fale com nosso vendedor pelo whatsapp
11 94104-6149
11 4727-4949
Acompanhe-nos nas redes sociais:
11 4727-4949
Como chegar

Notícias



por página
Exibir:


30/06/2022
Novo Citroën ë-C4 X elétrico é revelado com estilo que mistura SUV e sedã
A Citroën acaba de revelar mundialmente um novo carro baseado no C4. Trata-se do Citroën C4 X, um modelo que estreia junto com a versão elétrica ë-C4 X e se destaca principalmente pelo visual que mistura os estilos crossover e sedã.  Assim como o Citroën ë-C4 convencional, que por si só já aposta num design 'fora da caixinha', o novo ë-C4 X é baseado na plataforma modular para carros elétricos da Stellantis chamada eCMP e tem como proposta ampliar o leque de opções dentro da linha.  O C4 X carrega a nova identidade visual da Citroën, se destacando pelo perfil aerodinâmico que se caracteriza pelo teto um leve caimento na parte traseira. Em termos de aerodinâmica, o Cx é de apenas 0,29. Fazendo jus ao sobrenome X, o modelo modelo tem a parte inferior da carroceria que recebe uma série de elementos plásticos escurecidos. Com proposta de aliar estilo exclusivo e espaço interno, o ë-C4 X tem porte entre o C4 e C5 X e mede 4,60 metros de comprimento, 2,76 metros de entre-eixos e 1,80 metros de largura, oferecendo espaço para cinco adultos e um porta-malas com 510 litros de capacidade, que pode ser ampliado ao rebater o banco traseiro.  O sistema de propulsão é o mesmo do e-C4, ou seja, o motor elétrico com 100 kW (136 cv) de potência e torque de 26,5 kgfm que garantem uma aceleração de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. O conjunto de baterias possui 50 kWh de capacidade e dá ao ë-C4 X um alcance de até 360 km pelo ciclo WLTP, um ganho de 10 km sobre o e-C4 normal, graças a aerodinâmica. Ele é compatível com sistema de recarga rápida de até 100 kW, possibilitando um ganho de 10 km de autonomia por minuto em um ponto de recarga rápida. Para recuperar de 0 a 80% são necessários 30 minutos.  O Citroën C4 X (com motores híbridos e a gasolina) e o ë-C4 X serão feitos no Polo Automotivo da Stellantis em Madri (Espanha), e vendidos nos principais mercados da Europa, Ásia e Oriente Médio no início do outono do hemisfério norte. Fonte: Insideevs
Ler mais
03/05/2022
O que sabemos sobre a nova geração do Citroën C3?
O Citroën C3 está perto de ganhar vida nova no Brasil. A produção da terceira geração do hatch já é feita em Porto Real (RJ) desde o início de março e a chegada é esperada ainda para este ano, talvez no fim desse primeiro semestre. Desde meados do ano passado, informações sobre o hatch têm sido salpicadas aqui e ali. A confirmação efetiva da chegada foi divulgada em dezembro. A expectativa da marca era de que o lançamento ainda ocorresse no primeiro trimestre, mas a crise dos semicondutores teria afetado a produção, que atrasou. Design e projeto do Citroën C3 Já se sabe que o modelo brasileiro terá visual similar ao C3 vendido no mercado indiano. O modelo faz parte do projeto C-Cubed que deve dar origem a outros dois modelos até 2024. Aliás, um vídeo produzido para o mercado da Índia tem sido usado pela própria Citroën para divulgar o carro por aqui. O visual é bem acertado e lembra muito o que já é praticado pela marca no C4. A dianteira, por exemplo, tem conjunto de iluminação parecido com o sistema usado no irmão SUV, com iluminação dividida em duas porções. O projeto, é claro, deve ter passado por ajustes para agradar ao público brasileiro, seja na parte visual, ou na questão dinâmica e na motorização. Segundo a própria Citroën, "sua concepção foi cuidadosamente pensada para oferecer um veículo de qualidade, conectividade e acessível no segmento B-hatch". Tamanho Ao longo dos últimos meses, a Citroën emitiu comunicados com detalhes de como será o novo C3. Em uma dessas "pílulas" de informação, a marca garantiu que o hatch terá capacidade para acomodar bem até cinco ocupantes. Isso não significa muita coisa, mas,  pelas medidas da versão indiana, o nacional pode ter entre-eixos de 2,54 mm, comprimento de 3,99 m, mais de 18 cm de altura em relação ao solo e porta-malas com 315 litros. Se confirmadas, as medidas do modelo serão bem parecidas às do Hyundai HB20, que tem 300 litros de capacidade no porta-malas e entre-eixos de 2,53 m. Conectividade Confirmado pela marca mesmo está o sistema de entretenimento e multimídia do C3. De acordo com site da marca, o hatch terá uma central com tela de 10 polegadas que permite espelhamento sem fio para Android Auto e Apple Car Play. O sistema tem proporção mais horizontal e fica em posição elevada no console. E se encaixa bem no design interior do modelo, que também já foi revelado pela marca francesa. O visual tem um ar "diferentão". O acabamento tem texturas variadas e mescla tons. Sob o capô do novo Citroën C3 A motorização do C3 ainda é um mistério, mas há expectativa que o hatch chegue com opções aspiradas e turbo. Um dos propulsores esperados é o 1.0 Firefly. O motor entrega 77 cv de potência e 10,9 kgf.m de torque no Argo e pode ser a alternativa para os modelos de entrada. Também pode fazer parte da linha o motor 1.6 quatro cilindro. Esse propulsor gera 118 cv e 15,5 kgf.m. Outra possibilidade, menos provável, é claro, seria o C3 ter alternativas com o 1.3 Firefly e o novo 1.0 turbo. Fonte: WebMotors
Ler mais
14/03/2022
Novo Citroën C3 2023 terá motor 1.6 de 120 cv em estreia
O novo Citroën C3 2023 terá motores 1.6 16V EC5 e 1.0 Firefly como antecipamos em julho de 2021. No entanto, em sua estreia o novo hatch francês da Stellantis deverá ter somente motor 1.6 que já está homologado. O 1.0 Firefly fará parte do catálogo, mas sua estreia deve ocorrer num segundo momento. No hotsite do modelo, a data de estreia está mantida para o primeiro trimestre, mas assim como todos os lançamentos recentes, o C3 poderá ter problemas com a falta de semicondutores. Em julho, também publicamos o novo C3 2023 com motor 1.0 Firefly chegou a ser apresentado com visual mais limpo, sem os apliques plásticos na parte inferior das portas. Já em novembro, o Autos Segredos flagrou um protótipo sem camuflagem com visual mais espartano e com calotas, chegamos a apostar que seria uma versão de entrada com motor 1.0. Mas dias atrás flagramos um novo protótipo também sem camuflagem sem os chamados airbumps na parte inferior das portas e com pintura em um só tom. Apesar do visual mais simples, a unidade contava com rodas de liga leve. Protótipos com o mesmo estilo foram flagrados rodando em outros locais, o que indica que realmente pode ser uma versão de produção do novo C3 1.0 2023. Diferentemente do protótipo flagrado em novembro que tinha rodas de aço de 15 polegadas, o flagra recente do novo C3 indica que as rodas são de 14 polegadas de liga leve. As diferenças visuais do protótipo flagrado em novembro para as novas imagens são as rodas de liga leve, pintura em um só tom e ausência dos apliques plásticos na parte inferior das portas. As fotos também mostram que não há furação nas portas para receber o aplique, o que comprova o visual mais simples da versão 1.0. As luzes de condução diurna integradas ao conjunto ótico estão presentes, assim como o rack de teto. Motores O motor das versões mais caras do novo Citroën C3 será o 1.6 16V EC5 atualizado para atender o Proconve L-7 como o Autos Segredos antecipou o dia 7 de fevereiro. O motor 1.6 16V EC5 agora rende 113 cv a 6.000 rpm e torque de 15,4 kgfm aos 4.250 rpm com gasolina no tanque. Já com etanol a potência será de 120 cv a 6.000 rpm e torque de 15,6 kgfm a 4.500 rpm. O motor 1.6 poderá ser ligado aos câmbio manual de cinco marchas ou ao automático de seis. Já o motor 1.0 Firefly chegará ao Citroën C3 com as mudanças apresentadas no Argo para atender o P-L7. O motor 1.0 Firefly P-L7 agora rende 71 cv a 6.000 rpm e torque de 10 kgfm a 3.250 rpm com gasolina. Com etanol, a potência agora é de 75 cv a 6.000 rpm e torque de 10,7 kgfm a 3.250 rpm. A transmissão será a manual de cinco velocidades. Fonte: Autos Segredos
Ler mais
17/02/2022
Proteção de Dados
Com prestadores de serviços responsáveis parcial ou totalmente pela gestão do site, para a execução e/ou restabelecimento de funcionalidades; Com prestadores de serviços responsáveis pelos canais de comunicação da Grupo Faberge, com o objetivo de divulgação consentida pelo usuário, quando se tratar de dados pessoais, e sem consentimento do usuário, quando se tratar de informações anonimizadas, agrupadas, de cookies ou formas que não o identifiquem pessoalmente; Com órgãos reguladores e fiscalizadores brasileira, auditores, atuários, institutos de pesquisa; Com autoridades legais, judiciais, administrativas ou arbitrais; Em casos de aquisição, fusão ou outras reorganizações societárias, respeitada a legislação geral, em especial a previdenciária.   Direitos e deveres dos usuários do site O usuário tem direito a acessar seus dados pessoais obtidos e tratados pelo site, e solicitar a retificação em caso de inexatidão ou ainda eliminação desde que a demanda não implique em descumprimento legal e/ou impedimento de processos inerentes à gestão da entidade. É direito do usuário limitar o tratamento de seus dados pessoais às finalidades da entidade e ao período necessário ao cumprimento dos objetivos legítimos para os quais são coletados. O usuário poderá exercer seus direitos por meio de solicitação enviada aos canais de atendimento e comunicação da Grupo Faberge, que tem o dever de executar a retificação ou eliminação dos dados, quando o caso, e informar o usuário, de forma embasada, sobre as medidas adotadas. É dever do usuário navegar com responsabilidade às informações pessoais inseridas nos sites, em especial, as que se referem à autenticação para acesso à página individual. Neste sentido, é dever ainda que durante a permanência como participante da Grupo Faberge, a fim de resguardar e de proteger os direitos de terceiros, o usuário forneça somente os seus dados pessoais ao site. O usuário deve se atentar para que o acesso e uso do site não infrinja direitos de propriedade intelectual da Grupo Faberge, não inclua mensagens e imagens com apologia ao crime, difamatórias, relacionadas à pornografia, de natureza racista e preconceituosa, e de cunho violento. O usuário também deve responder por suas ações e conteúdo transmitido pelo site, do ponto de vista da veracidade, da omissão de informações e, quando o caso, da reparação de danos causados à Grupo Faberge, terceiros e outros usuários.   Conclusão A Grupo Faberge desenvolveu a presente Política baseada sobretudo no princípio da transparência que, neste caso, aplica-se à forma lícita, ética, legítima, segura, responsável e confidencial com a qual trata os dados dos usuários ao longo da navegação. As diretrizes aqui explicitadas se restringem aos sites da entidade, não se estendendo a endereços de terceiros, disponíveis em nossas páginas e notícias por meio de links, sobre os quais o usuário pode clicar para ser direcionado. Ao utilizar o site da Grupo Faberge, o usuário consente com a Política de Privacidade e Uso. Por se tratar de um documento a se atualizar a qualquer tempo, em decorrência de eventuais mudanças normativas e/ou dos processos da entidade, recomendamos a consulta periódica a esta página, que apresentará sempre a versão mais atualizada. Última Atualização: 01/02/2020 - 07:34
Ler mais
11/01/2022
Citroen C3 fabricado no Brasil surge pela 1ª vez, mas na Argentina
O novo Citroen C3 está cada vez mais perto de chegar ao mercado do Brasil. Fabricado em Porto Real, no Rio de Janeiro, o hatch da marca francesa, que faz parte do grupo Stellantis, surgiu pela primeira vez em público. Mas fora do País. O novo C3 foi exposto no estande da Double Chevron, em Cariló, estância balneária que fica entre Mar Del Plata e Buenos Aires, na Argentina. E revelou por completo o design da nova geração do modelo, aposta da marca para emplacar (com o perdão do trocadilho) novamente no segmento no Brasil. Batizada de “Citroen For All” (Citroen para todos, na tradução para o português), a estratégia francesa é mandar ao mercado um carro com visual atraente, moderno e, claro, repleto de conectividade e tecnologia. A ideia é herdar os bons pontos positivos do C4 Cactus e apresentar algumas novidades. O que se sabe sobre o novo Citroen C3? A Citroen já expôs o novo C3 aos olhos do público, mas isso não significa que não existam mais mistérios a respeito do novo hatch da montadora francesa. Muito pelo contrário: há muitas informações que permanecem guardadas a sete chaves. A mais importante diz respeito à motorização. Por enquanto, não há qualquer confirmação oficial sobre qual (ou quais) foi o escolhido para ir sob o capô. O novo Citroen C3 pode carregar o 1.6 VTi, de 115 cavalos, ou os mais modernos, FireFly 1.0 de 3 cilindros, com 72 cavalos (aspirado) ou 120 cavalos (turbo). O que se sabe é que por dentro não faltará tecnologia embarcada. O novo Citroen C3 terá tela multimídia de 10 polegadas, sem botões físicos, e compatível com Apple CarPlay e Android Auto, ar-condicionado digital e um painel com visual totalmente renovado. O lançamento está previsto para abril de 2022, mas, até lá, certamente novos vazamentos derrubarão, um a um, os mistérios que ainda cercam o que resta saber sobre o novo Citroen C3. É ficar ligado e esperar pelas novidades. Fonte: Canaltech
Ler mais
09/12/2021
Citroën anuncia o elétrico e-Jumpy na América do Sul
A Citroën apresentou o Ë-JUMPY, primeiro utilitário 100% elétrico da marca na América do Sul. Tipo furgão médio, o modelo é um dos quatro lançamentos previstos no plano estratégico da marca no país nos próximos anos. No Brasil, o Ë-JUMPY chega até o fim do ano. O veículo comercial elétrico da marca francesa conta com motor elétrico de 136 cavalos e 26,5 kgfm. A Citroën planeja conquistar 4% do mercado brasileiro, duplicar sua participação de mercado na Argentina, chegando a 7%, além de superar os 3% de participação no Chile. A estratégia de crescimento CITROËN 4 ALL foi divulgada em 12 de novembro por Vanessa Castanho, head da Citroën na América do Sul. Fonte: nd+
Ler mais
09/11/2021
Citroen C4 L dá uma prévia de como deve ser novo sedã no Brasil
Ao mesmo tempo que prepara a chegada da nova geração do C3 ao Brasil, a Citroen também está trabalhando em um projeto inovador para o C4 L. A ideia, a princípio, seria a de substituir o C-Elysée na Europa, mas mercados como China, Índia e até o Brasil não estão descartados. Segundo informações da imprensa europeia, assim como o C-Elysée, o futuro C4 L (lounge) terá o selo “made in Spain”, ou seja, será produzido na Espanha. As instalações do Grupo Stellantis em Vigo, no entanto, não abrigarão a fabricação do novo sedã, e os trabalhos serão realizados na planta da montadora em Madri. Quando chega e como será? Ainda não há quase nenhuma informação oficial a respeito das especificações técnicas do futuro Citroen C4 L, a não ser que ele será um sedã desenvolvido em cima da plataforma CMP. Para quem não sabe, é de acordo com a plataforma que se definem tecnicamente todas as opções do modelo, como as suspensões, componentes elétricos, eletrônicos e até a motorização. A CMP, mesma utilizada para a fabricação do novo C3, segundo a Stellanis, é altamente robusta, com baixíssimos níveis de vibração, maior conforto acústico e rápidas respostas de direção e elevada estabilidade. "Os produtos fabricados em nossas diferentes e modernas plataformas são complementares e distintos. A Stellantis está na vanguarda quando falamos em tecnologia no mundo, e na América Latina isso não é diferente", comentou Marcio Tonani, Diretor do Tech Center da Stellantis para a América Latina. A previsão de chegada do novo Citroen C4 L ao mercado europeu é para o fim de 2022 ou início de 2023, já que a produção do modelo deve começar somente entre setembro e outubro do ano que vem. Segundo o site francês Largus, especializado no segmento automotivo da região, há fortes indícios de que o C4 L possa chegar ao mercado com versões a gasolina, diesel e também em uma versão elétrica. Esta, no entanto, seria disponibilizada somente na China. Fonte: Canaltech
Ler mais
30/09/2021
Único carro da Citroën no Brasil, C4 Cactus estreia mais uma série especial
No início do mês, a marca lançou uma outra série especial para o modelo, chamada X-Series. São 600 unidades, todas equipadas com o motor 1.6 aspirado de 118 cv e o câmbio automático de 6 marchas.  É a segunda série especial do modelo apresentada em 2021 – e a quarta desde o lançamento, em 2018. Em março, a marca já havia apresentado a edição limitada Rip Curl. Na comparação com as outras configurações, o C4 Cactus X-Series tem pequenos elementos estéticos exclusivos. É o caso das molduras plásticas na cor bronze envolvendo os faróis de neblina e os airbumps nas portas dianteiras. Apliques com o nome da versão estão nas portas dianteiras e nos bancos. Internamente, o volante ganhou revestimento de couro e os tapetes também são diferentes das demais versões. Junto com a edição limitada, a Citroën lançou uma nova cor de carroceria: cinza Artense. Ela pode ser combinada com o também inédito teto pintado de preto. Além dos itens exclusivos, o C4 Cactus X-Series traz, de série, central multimídia de 7 polegadas com integração para Android Auto e Apple Carplay, ar-condicionado digital, controlador de velocidade e câmera de ré. Fonte: Auto Esporte
Ler mais
30/08/2021
Agora SUV, novo Citroën C3 2022 já tem data para ser revelado
Empresa francesa fará uma apresentação para revelar maiores detalhes sobre o novo C3 2022 que chegará aos principais mercados emergentes. O novo Citroën C3 agora tem data para ser revelado. A fabricante francesa anunciou, sem muitos detalhes, que fará uma apresentação mundial no dia 16 de setembro sobre um novo modelo do segmento B.   Dada a afirmação da marca, fica claro que o modelo ao qual se referem é o novo C3 que, ainda em maio, teve imagens de miniaturas vazadas que revelaram o seu possível visual.  O lançamento será mundial e com foco exclusivo em mercados emergentes, uma vez que o seu desenvolvimento levou em conta as engenharias francesa, brasileira e indiana. Ainda assim, vem dando trabalho para a engenharia da Stellantis, que teve acesso ao projeto após a fusão entre PSA e FCA, quanto o projeto já estava avançado.   Em relação ao possível visual, vazado ainda maio, o hatch compacto foi transformado em um conceito próximo a um SUV compacto. A miniatura tem suspensão elevada e carroceria mais “quadradona”, típica de um SUV.   Entre as maiores novidades no design estão: o teto de cor contrastante do resto do veículo e separado por elementos e pilares pretos, plásticos também pretos utilizados nas bases das portas e as molduras no entorno das rodas.   No visual dianteiro, o modelo exibe luzes diurnas de LED separadas dos faróis e conectados por uma espécie de X. Já na traseira, o que chama atenção é o alto relevo da parte vermelha das lanternas, que formam um C. O para-choque traseiro recebe a mesma cor dos plásticos que ficam abaixo das portas.   Fonte: Quatro Rodas
Ler mais
30/07/2021
Avaliação: aceleramos o Citroën C4, que virou SUV-cupê e deve ser fabricado no Brasil
Fugindo dos paradigmas do segmento, o novo Citroën C4 aposta em uma carroceria da moda, mas que ecoa o passado. Muito econômico, seu motor três cilindros aposta no conforto. E é candidato a ser fabricado no Brasil. Este novo Citroën C4 é muito bem-vindo. Afinal, seria triste ter um mundo desprovido de nuances. Onde todos os carros parecem gotas d’água, fotocópias que compartilham linhas, proporções e até detalhes. Se esse dia chegar – esperamos que não chegue –, teríamos poucas certezas. Uma delas, certamente, é o amor inabalável da Citroën pela originalidade. Um sentimento que se tornou, de 1919 até hoje, a verdadeira assinatura, estilística e não só, da marca. E certamente permanecerá assim agora que ela faz parte da Stellantis. O novo Citroën C4, que é forte candidato a chegar ao Brasil muito em breve, com provável produção na fábrica de Porto Real (RJ), elogia a ideia original. E a supera, evoluindo propostas clássicas do seu segmento. Isso porque resgata traços estilísticos do passado mais ou menos recente da marca do duplo Chevron: o perfil arqueado das janelas laterais é inspirado no do primeiro C4, embora haja algumas referências ao Cactus, como na parte inferior das laterais. A primeira impressão ao vê-lo é a de estar na presença de um carro que quer tocar as cordas do dinamismo. Aí você entra no Citroën C4, se senta, e logo entende que a aposta é outra – no conforto, o lado mais autêntico e verdadeiro deste novo Citroën. Em primeiro lugar, graças aos bancos, cuja costura em tecido traz à mente sugestões estilísticas ligadas a modelos como o GS e o BX: bem moldados, representam o paradigma da suavidade, e acomodam facilmente a maioria dos corpos. Proporcionando, mesmo com os ajustes manuais de série (também do apoio lombar), um excelente suporte para longas distâncias. A cabine é acolhedora, embora desprovida de muitos luxos: o painel, feito na maioria com materiais rígidos, tem uma aparência meio tenebrosa e, à primeira vista, não agrada a todos. Mas, aos poucos, detalhes mais ou menos ocultos vêm à tona e as coisas mudam de figura. O porta-luvas à frente do passageiro não é suficiente? Aparece uma gaveta deslizante com fundo emborrachado. Logo acima, um engenhoso suporte retrátil dedicado a tablets: assim, o passageiro dianteiro pode ver sua série de TV favorita sem incomodar o motorista. Quem dirige, por outro lado, deve se contentar com a pequena tela (6”) que atua como quadro de instrumentos: as informações essenciais estão todas lá, mas a interface não é ideal. Felizmente, um head-up display colorido é item de série. A plataforma CMP, até agora usada apenas em carros menores, garante medidas internas em linha com aquelas dos rivais. Como exemplo, o bom entre-eixos de 2,67 m deixa, em média, 30 cm para os joelhos de quem vai atrás. E se a largura na altura dos cotovelos não é referência, viajar em quatro não é problema. Porém, na hora de guardar a bagagem, é preciso tomar alguns cuidados: são pouco mais de 380 litros, e, por causa da superfície ajustável em altura, não há muita liberdade no transporte de objetos. As coisas melhoram se eles forem longos: neste caso, pode-se aproveitar da prática abertura no apoio de braços (de série). Viagem suave Muito do sentido deste novo C4 está em sua agradável suavidade ao lidar com o asfalto. Os amortecedores hidráulicos progressivos não são uma novidade para a Citroën – e, para ser honesto, não podem ser comparados às famosas suspensões hidropneumáticas, às quais gostariam de remeter. Mas, na prática, se mostraram bem eficientes, não sendo abalados nem mesmo pelos infames obstáculos secos de nossa pista de testes. Tudo isso apesar da suspensão traseira com eixo de torção, que realmente não é a melhor solução quando falamos em absorção de impactos. Mesmo do ponto de vista acústico, não há problemas de nenhum tipo, pelo menos rodando na cidade e em estradas vicinais. Em rodovias, no entanto, a 120 km/h ou acima disso, ouve-se certo ruído proveniente dos espelhos retrovisores. E a suavidade ao rodar não deve levar a crer que, ao aumentar um pouco o ritmo, o C4 se desequilibre com muita facilidade: podemos dizer que a aderência à estrada obedece a melhor tradição da marca – e, caso desejado pelo motorista, permite lidar com as curvas de modo decisivo, até mesmo nas estradas mais difíceis. Mas a verdade é que este Citroën não é um carro para quem busca fortes emoções ao volante. Na verdade, se dependesse só do 1.2 turbo de 131 cv, não teríamos do que reclamar: elástico e disposto a girar, ele movimenta o C4 com brilho, como mostram os 10,6 segundos no 0-100 km/h. Já as retomadas são lentas em sexta marcha (são 18,5 segundos no 70-120 km/h), mas basta reduzir para retomar com vigor (o câmbio manual é bom, mas no Brasil a aposta seria no automático). Quanto ao sistema de direção, no segmento de hatches médios e SUVs compactos/médios há modelos mais rápidos nas respostas e também os que comunicam melhor o que acontece com as rodas. Mas este C4 não pode ser desprezado, considerado seu conjunto: entre as nuances do sistema, há também qualidades apreciáveis em relação à progressividade e à precisão. Tudo isso é muito útil quando você se vê subitamente tendo que desviar de um obstáculo. Graças a um controle de estabilidade bem calibrado, o C4 passa entre os cones com segurança, sem envergonhar quem está ao volante. Um comportamento minimamente invasivo que também se vê na condução cotidiana: o sistema de manutenção em faixa limita-se a pequenas correções. A suavidade é mesmo a marca deste Citroën C4 – que, como querem os consumidores, mais parece mesmo é com um SUV-cupê. Trata-se de um belo (literalmente) rival para os SUVs compactos da moda – e até alguns médios. Porque se na Europa ele substituiu o Cactus, aqui, como é maior e mais sofisticado, poderia ter a suspensão elevada e ser posicionado acima dele, como opção mais original e cheia de estilo a modelos que se propagam pelo mercado. Fonte: Motor Show
Ler mais

Anterior
Próximo
1 / 8
Citroën
S.J. dos Campos
Rua Antônio Joaquim de Alvarenga, 105
Jd Satélite – SJCampos – SP
Citroën
Mogi das Cruzes
Rua Ipiranga, 1220

Citroën
São Paulo
Avenida São Miguel Paulista, 8479

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa política de privacidade.
Saiba mais
Estou de acordo