Fale com nosso vendedor pelo whatsapp
11 94787-8185
11 4727-4949
Acompanhe-nos nas redes sociais:
11 4727-4949
Como chegar

Notícias



por página
Exibir:


02/01/2018
Citröen C3 Aircross: Um SUV Irreverente
A Citröen apresentou o que anuncia como “um SUV Compacto de nova geração”, com o C3 Aircross a apostar em características como a personalização e tecnologia, aliadas a um visual diferente e um interior potenciado pelo programa Advanced Confort. A marca afirma que o modelo partilha com o C5 Aircross a filosofia “People Minded SUV”, que se vislumbra por uma inspiração “nos clientes e na sua forma de viver o automóvel e no seu desejo de um universo automóvel feito de otimismo e de partilha”. Com chegada ao mercado durante o segundo semestre de 2017, o Citröen C3 Aircross é a mais recente novidade na ofensiva SUV da marca francesa. Inspirado no C-Aircross Concept que foi revelado no Salão de Genebra e também com influências do novo C3, o fabricante gaulês afirma que este modelo pretende assumir-se como uma lufada de ar fresco no segmento dos crossovers e SUVS compactos. Para tal, o Citröen C3 Aircross ostenta um visual singular, marcado pelas quadradas óticas abaixo da afilada iluminação logo acima que prolonga a grelha do double chévron e o trabalho artístico do Pilar C juntamente com outros elementos marcadamente SUV (as proteções inferiores da carroçaria e a altura superior ao solo) e ainda um grande potencial de personalização. Este último trunfo é demonstrado pelas 90 combinações possíveis para o exterior, onde se incluem as quatro cores para o tejadilho nas versões bi-tom e os packs Color, mas estende-se também ao interior com cinco harmonias distintas. A bordo do Citrëon C3 Aircross encontra-se um visual orientado por linhas horizontais, mas também pelo programa Citröen Advanced Confort, que significa o privilégio da habitabilidade, modularidade e individualidade. A luminosidade conferida pelo teto panorâmico será, também, elemento em destaque no novo SUV compacto gaulês. Este SUV Compacto de 4,15 metros de comprimento ganha, para reforçar as suas capacidades off-road, tecnologias que potenciam a sua utilização quando deixa o asfalto. A mais destacada pela marca é o Grip Control com Hill Assist Descent, um sistema de motricidade que, segundo é avançado, torna o Citröen C3 Aircross tão apto à condução no meio urbano como no ataque as estradões e outras incursões aventureiras. Além disso, como poderá comprovar na fotogaleria, junta-se ainda uma ampla oferta tecnológica composta por soluções que facilitam a vida a bordo (como o evoluído infotainment, o head-up display e a carga wireless de telemóveis) e também apoios que aumentam a segurança e facilitam a execução das manobras. Mas quando se fala de tecnologia no Grupo PSA, é impossível deixar de nomear a reconhecida eficiência dos motores diesel e gasolina das mais recentes gamas. Na primeira vertente encontramos os BlueHDI de 100CV e 120Cv, conectados a caixas manuais. Estas transmissões equipam também os gasolina Puretech, com o mais potente da gama a ser o de 130CV, numa oferta que contempla ainda as versões de 110CV (única onde pode surgir a caixa automática de seis velocidades) e de 82CV. O novo Citröen C3 Aircross chega ao mercado durante o segundo semestre de 2017, e esperamos brevemente poder levar até si mais informações relativas aos preços de comercialização deste elemento-chave da ofensiva SUV do Double Chévron. Fonte: www.turbo.pt
Ler mais
20/12/2017
Avaliação: Citroën C3 Exclusive 1.6 automático? Quando mais é mesmo?
O caro leitor já deve estar cansado de o quanto reclamamos de câmbio automático obsoleto. Combinemos: ninguém merece um carro moderno, com motor cheio dos parangolés em tecnologia e redução de atrito, e com aquela caixa mais indecisa do que gordinho na fila do Burger King. Mas também damos o braço a torcer, como no caso do C3 com a transmissão de seis marchas. Avaliamos a versão Exclusive, que deixou de lado o manjado câmbio de quatro velocidades AT8. É evidente, logo nas primeiras aceleradas, o salto no conforto e no desempenho com a nova caixa Aisin, a mesma usada em modelos médios da marca, como C4 Picasso e C4 Lounge. Nas primeiras relações já é perceptível a maior agilidade nas trocas. O C3 flui bem no trânsito da cidade, principalmente em baixas velocidades, sem reduções constantes de marcha. Além disso, o rodar ficou menos áspero. Resultado também do trato no motor 1.6 16V. Ele agora gera 115 cv com álcool e 118 cv, com gasolina, de potência máxima a um regime de rotação discretamente menor: 5.750 rpm. Antes, eram 115 cv a 6.000 rpm e 122 cv, a 5.800 rpm. Além disso, segundo a Citroën, 80% do torque máximo de 16,1 kgfm com qualquer mistura no tanque está disponível já nas 1.500 rotações. Isso é percebido nas situações em que se precisa de força: ladeiras e ultrapassagens. O C3 responde prontamente, sem indecisões e sobe-e-desce frenético do conta-giros. As aletas atrás do volante para as trocas sequenciais se tornam até dispensáveis. A não ser que você queira realmente “sentir o carro”. Aí, coloque o câmbio no modo Sport, que estica mais as marchas, e a viagem pode ficar divertida. Se preferir conforto, mantenha o câmbio no modo Drive na estrada. Nota-se que o C3 melhorou também o nível de ruído, apesar de o isolamento acústico do compacto sempre ser um destaque. Para ajudar, o motor 1.6 trabalha abaixo das 3.000 rpm nos 110 km/h permitidos na rodovia Washington Luís. No trânsito mais pesado da cidade, com a gasolina sendo cobrada em barras de ouro, opte pelo modo Eco, que promete 5% de economia. Mesmo assim, com muita dificuldade o computador de bordo do modelo avaliado marcou 10,0 km/l no tráfego urbano – pelo Inmetro, o C3 Exclusive 1.6 tem nota B e médias de 11,0 e 12,6 km/l com gasolina e de 7,9/8,8 km/l, com álcool. Preços do C3 automático Toda a linha 1.6 do C3 agora é vendida apenas com a caixa automática de seis marchas, a partir de R$ 55.990 na versão Attraction. A Exclusive avaliada custa R$ 65.490. Ar automático, direção elétrica, sensor de ré, cromados, controle de cruzeiro, sensores de luminosidade e de chuva, faróis de neblina e rodas de 16” fazem parte do pacote desta versão topo de linha. Tem ainda a central multimídia de 7” e a bossa maior do hatch: o para-brisa Zenith. O vidro frontal que se estende além da coluna A passa uma sensação de amplitude e de visibilidade bastante interessantes. Some a isso outras virtudes inerentes aos modelos da Citroën. A posição de dirigir deixa o motorista bastante à vontade e a estabilidade é eficiente – lembrando das quatro estrelas, no máximo de cinco, nos testes de colisão do Latin NCAP. Mas peca nos itens de segurança (só tem os obrigatórios airbag duplo e freios com ABS) e no acerto da suspensão, que bate seca em alguns buracos mais vilanescos da cidade. O C3 também ficou com a vida mais difícil esse ano. A chegada do Argo trouxe capricho no acabamento para um compacto da Fiat e a versão Precision custa R$ 67.800, com motor 1.8 de 135/139 cv e caixa automática de seis marchas. Tem ainda o novo Volkswagen Polo, cujo acabamento não inspira, mas que na configuração Comfortline 200 vem com o eficiente motor 1.0 TSI Turbo de 116/128 cv e um pacote de equipamentos mais interessante por R$ 65.190. A Citroën vai ter que buscar melhores argumentos para o C3. Fonte: www.campoverdenews.net.br
Ler mais
18/12/2017
Flagra - Citroën C4 Lounge 2018 é pego sem disfarces na Argentina
Sedã renovado estreia no ano que vem com facelift idêntico ao da versão chinesa Um dos primeiros lançamentos programados pela Citroën para 2018 na América do Sul, a reestilização do sedã C4 Lounge já parece estar praticamente pronta. Prova disso são as imagens publicadas nesta semana pelo site Autoblog Argentina, que mostram o modelo pela primeira vez sem qualquer disfarce. As fotos foram captadas nos arredores da fábrica argentina de El Palomar e acabam por confirmar suspeitas que já vinham sendo levantadas há alguns meses: o facelift será idêntico ao aplicado na China. Por fora, todo o conjunto frontal será remodelado. Os faróis, por exemplo, terão novo desenho e iluminação mais sofisticada, enquanto a grade ganhará novos filetes e ficará mais integrada ao conjunto. A traseira receberá lanternas com novo desenho interno e leves alterações no para-choque. Laterais, por sua vez, receberão apenas rodas resenhadas. Por dentro, a expectativa fica por conta de novidades como quadro de instrumentos, sistema de entretenimento mais moderno e volante multifuncional com mais comandos integrados. Sob o capô, o motor 1.6 THP de 173 cv seguirá como única opção do portfólio, trabalhando em conjunto com o câmbio automático de 6 marchas - a opção manual não será oferecida. O lançamento deve acontecer no início de 2018, seguido de outras novidades já praticamente confirmadas, como o crossover C4 Cactus produzido no Brasil.  
Ler mais
15/12/2017
Citroën C3 Aircross. A melhor compra automóvel europeia para 2018
O CItroën C3 Aircross, o SUV compacto da marca, recebeu um importante galardão da AUTOBEST, ao ser considerado a melhor compra automóvel para 2018. A AUTOBEST atribui, desde 2001, o prémio para a “Melhor compra automóvel na Europa”. São 31 júris, todos eles jornalistas especializados, de tantos outros países, onde se inclui Portugal, que avaliam os automóveis candidatos em 13 parâmetros. Entre estes inclui-se relação qualidade-preço, design, conforto ou tecnologias e até a qualidade dos serviços e a disponibilidade de peças de substituição na rede de distribuição. A edição deste ano atribuiu o primeiro lugar ao Citroën C3 Aircross, que saiu vitorioso frente aos outros cinco finalistas, por ordem de posição crescente: Opel Grandland X, Volkswagen T-Roc, SEAT Ibiza, Ford Fiesta e Honda Civic. Não é a primeira vez que a Citroën recebe o prémio “Melhor compra automóvel na Europa” da AUTOBEST — em 2003, o Citroën C3 alcançou o mesmo feito. O C3 Aircross repete a proeza, e o prémio é mais uma boa notícia para um modelo que já acumula cerca de 30 mil encomendas na Europa, desde o seu lançamento em outubro passado. "Os meus parabéns vão para Linda Jackson (CEO da marca Citroën) e para as suas equipas, pela vitória no troféu AUTOBEST 2018. Enfrentando uma concorrência extremamente forte, o C3 Aircross revelou-se um verdadeiro campeão, demonstrando aos membros do júri que se trata da melhor escolha automóvel presente nesta edição." Ilia Seliktar, Presidente do Júri AUTOBEST. MPV sai fora, SUV entra O Citroën C3 Aircross substituiu o C3 Picasso, o mais pequeno dos monovolumes da marca francesa. É a resposta da Citroën às mudanças verificadas no mercado, que favorece, grandemente, os SUV e Crossover perante qualquer outro tipo de carroçaria. Mas na transição de tipologia não parece ter perdido nada relativamente ao MPV: o C3 Aircross é o mais espaçoso da sua categoria e aposta forte na modularidade. A outra grande aposta é a personalização, permitindo até 85 combinações exteriores e cinco ambientes interiores. Outros argumentos prendem-se com a dotação do programa “Citroën Advanced Comfort ®” e as 12 ajudas à condução — um dos ingredientes que ajudaram a garantir as cinco estrelas no Euro NCAP. Continuar o sucesso com Citroën C3 Aircross A marca registou uma subida de vendas no primeiro semestre de 2017, tendo atingindo as 426 mil unidades, em grande parte, responsabilidade do Citroën C3. O utilitário já vendeu mais de 230 mil unidades desde que surgiu no mercado. Caberá ao C3 Aircross, a continuação desta história de sucesso. Fonte: www.razaoautomovel.com
Ler mais
14/12/2017
Citroën C4 Cactus 2018 Crossover chega ao Brasil no próximo ano
A Citroën passou 2017 de forma discreta, a marca não lançou nenhuma novidade de peso no mercado nacional, porém 2018 promete ser diferente, a marca prepara para o inicio do próximo ano a chegada do C4 Cactus. O carro que já roda em testes por aqui, terá uma série de mudanças em relação ao atual modelo europeu. O C4 Cactus demorou para chegar ao Brasil, na Europa ele foi lançada em 2014. A boa notícia é que o carro já chegará com visual renovado. O Cactus nacional não contará com os polêmicos Airbumps (aqueles pequenas bolsas de ar emborrachadas nas laterais e na dianteira), além disso sua dianteira será inspirada no Novo C3 AirCross. Acima o atual C4 Cactus vendido na Europa, o modelo nacional não terá a bolhas de plástico nas laterais Construída sobre a plataforma BVH1, a mesma de carros como Peugeot 2008 e Citroen AirCross. A expectativa é que o seu tamanho seja semelhante ao modelo europeu, 4.16 m de comprimento por 1,48 m de altura,ou seja, apesar do porte robusto, se trata de um modelo compacto. Em termos de performance o C4 Cactus brasileiro terá duas opções de motores, a primeira um motor 1.6L 16V FlexStart de 115 CV com gasolina e 118 CV com etanol. Em sequencia a Citroën oferece, o conhecido, 1.6 THP turbo que desenvolve 166 CV com gasolina e 173 CV com etanol. Já o interior em relação ao modelo europeu será mais simples, o acabamento será menos sofisticado, assim como o conjunto de equipamento de série, que promete trazer menos itens do que o carro vendido na Europa. O C4 Cactus promete ser uma opção para quem busca um carro com design diferenciado no mercado dos SUVs, além de dar um sopro de renovação a gama da marca Citroën no Brasil, que há um bom tempo carece de novidades. Além do Cactus, promete colocar pelo menos uma novidade por ano, no mercado nacional até 2021. Fonte: www.autos24h.com.br
Ler mais
04/12/2017
Citroën C3 R5 no Rali do Var antevê futuro promissor
O prometido é devido, e tal como já tínhamos anunciado aqui, a Citroën aproveitou o Rali do Var para fazer a primeira aparição pública daquela que será a sua nova arma para o mundial — e não só — de ralis, o Citroën C3 R5. A última prova do campeonato de França de Ralis foi a escolhida para também dar continuidade aos testes de desenvolvimento do novo carro. Yoann Bonato e Benjamin Boulloud, que comemoram o título de Campeões de França após alcançarem quatro vitórias com o Citroën DS3 R5, estrearam agora o novo produto da Citroën Racing. A totalidade das três etapas da prova serviu para o piloto “tirar as medidas” ao novo carro  e testar várias regulações diferentes. "Não tivemos qualquer pressão da concorrência, pelo que nos divertimos muito ao volante do Citroën C3 R5 no fim de semana. O produto já se encontra muito desenvolvido e a variedade de estradas do Rali do Var permitiu-nos experimentar diferentes regulações", Yoann Bonato, piloto Citroën Racing. Com um aspeto bem apelativo e decoração inovadora, o Citroën C3 R5 não deixou ninguém indiferente tendo sido o alvo das atenções ao longo de quase toda a prova, apesar de não pontuar. "Após a excelente temporada que fez no Campeonato de França era lógico que Yoann Bonato estivesse ao volante do C3 R5 nesta sua primeira aparição pública. Trocando-se a habitual 'camuflagem' por uma decoração que enfatizou o design do carro, desencadeamos uma onda de entusiasmo entre o público, bem como entre os muitos potenciais clientes, que se mostraram muito interessados neste produto." Yves Matton, Diretor da Citroën Racing. Tecnicamente, o novo Citroën C3 R5 introduz pela primeira vez uma transmissão de comando manual, medida imposta por uma recente mudança no regulamento, mas que permitiu a Yoann Bonato terminar 14 classificativas sem registar qualquer problema. Depois de mais algumas sessões de intensivos testes para apurar e fiabilidade e performance do novo carro, o passo seguinte será o processo de homologação da FIA. "Para além do interesse suscitado junto do público e entre a comunidade do automobilismo, esta participação no Rali de Var trouxe-nos uma enorme satisfação em termos técnicos. Sem encontrar problemas de fiabilidade, fomos capazes de trabalhar com serenidade em diferentes configurações, adaptando o carro aos diferentes tipos de estrada, umas vezes suaves, outras muito acidentadas." Pierre Budar, Diretor de Desenvolvimento de Veículos Competição/Cliente. Fonte: www.razaoautomovel.com
Ler mais
04/12/2017
Teste: Citroën C4 Picasso e Grand C4 Picasso, as minivans raiz
Pai, mãe, dois filhos (um no cadeirão, outro no assento elevado), babá, sogro, sogra… Viu como nem é tão difícil assim lotar um carro de sete lugares? Pois bem, a Citroën viu. Remando contra o tsunami global dos SUVs (que não raramente também têm sete lugares), a marca francesa segue como uma das poucas a apostar nas minivans. E agora parece que vai colocar mais fichas na jogada: com as renovadas C4 Picasso (cinco lugares) e Grand C4 Picasso (sete lugares), ela pretende vender 1.000 unidades por ano. Nem é tanto assim, mas já representa um grande salto em relação às pífias 218 comercializadas em 2016. Fabricadas em Vigo, na Espanha, as minivans chegam às concessionárias do Brasil no fim de maio. Nem mesmo o facelift discreto e a exibição durante o Salão do Automóvel de São Paulo, no fim de 2016, diminuem o brilho dessa dupla. Nas ruas, muita gente as seguiu com os olhos, numa outra prova de que elas ainda despertam interesse. Se chamou a sua atenção também, prepare o bolso: o preço varia dos R$ 121.400 da C4 Picasso básica aos R$ 167.400 da Grand C4 Picasso completa. A motorização é velha conhecida do brasileiro: o confiável 1.6 THP de 165 cv a gasolina. Com turbo, intercooler e injeção direta, funciona acoplado a uma transmissão automática de seis marchas, formando uma dupla bastante eficiente, ou seja, econômica quando administrada com suavidade e bem disposta quando exigida. Na pista, ambas aceleraram de 0 a 100 km/h abaixo dos 10 segundos, com consumo superior a 10 km/l na cidade e de cerca de 13 km/l na estrada. Como é de se esperar de um veículo tipicamente familiar, a suspensão privilegia o conforto, embora o conjunto traseiro trabalhe um tanto ruidoso. Lado a lado, as diferenças entre as versões de cinco e sete lugares estão a partir da porta traseira. No perfil, a janela extra delimita bem a extensão que permitiu a instalação do par de bancos extras. O modelo de cinco lugares tem 4,43 metros de comprimento e 2,79 de entre-eixos. O maior mede, respectivamente, 4,6 e 2,84 metros. Saindo do perfil e chegando à traseira é que surgem as grandes diferenças. O de cinco lugares, direcionado a um público mais jovem, tem um estilo mais esportivo, com lanternas horizontais. No de sete, a Citroën optou por um conjunto óptico de contorno sinuoso. Ao contrário do que se imagina, o acesso à terceira fileira de bancos é fácil, pois a fila central corre sobre trilhos e tem bancos individuais e dobráveis – mesmo a versão de cinco lugares conta com essa facilidade. Minivans de raiz, as C4 Picasso têm na modularidade e no espaço as suas grandes armas. Soluções como porta-objetos no assoalho e bandejas no encosto dos bancos, claro, têm presença garantida. Até o câmbio colabora para reservar mais espaço para as pessoas, com sua alavanca seletora de marchas na coluna de direção, junto ao volante. No porta-malas, o volume varia em função da posição dos bancos: de 537 a 630 litros na de cinco lugares e de 130 a 704 litros na de sete. Com a segunda fileira avançada e a terceira recolhida, ou seja, com bancos armados para cinco ocupantes, o volume máximo é de 575 litros. Cedidas para teste em suas versões mais completas, as duas minivans impressionam pelo elevado nível de itens de tecnologia, segurança e conforto. Entre os equipamentos: telas de 7 e de 12 polegadas, faróis de xenônio direcionais, reconhecimento de leitura de placas de velocidade, sistema ativo de auxílio de estacionamento, bancos dianteiros com ventilação e massagem e teto panorâmico fixo. E aí, seu planejamento familiar e a sua garagem têm espaço para uma dessas minivans? Veredicto Bonitas, completas, espaçosas e eficientes, as novas C4 têm todas as armas para enfrentar os SUVs de cinco e sete lugares. Só perdem em um ponto (crucial): são minivans, não SUVs. Preço das versões de 5 e 7 lugares Seduction Faróis de neblina, ar dualzone, sensor de farol, rodas 17, multimídia com tela de 7 polegadas, freio de estacionamento elétrico, assistente de rampa, controle de tração e estabilidade. R$ 121.400 (5 lugares) R$ 131.400 (7 lugares) Intensive Seduction mais teto panorâmico, lanternas de led, faróis auxiliares de curva, faróis de xenônio, tela extra de 12 polegadas, câmera de ré, chave presencial. R$ 132.000 (5 lugares) R$ 142.000 (7 lugares) Intensive Confort Intensive mais bancos com couro e tecido, sistema de câmera 360 graus, alerta de ponto cego. R$ 141.900 (5 lugares) R$ 152.500 (7 lugares) Intensive Luxe Intensive Confort mais bancos de couro, sistema de reconhecimento de placas de velocidade, sistema de alerta e correção de desvio involuntário de faixa, farol alto automático, tela nos apoios de cabeça dianteiros. R$ 152.000 (5 lugares) R$ 167.400 (7 lugares) Teste de pista (com gasolina) FONTE: www.quatrorodas.abril.com.br
Ler mais
28/11/2017
Citröen C3 Aircross é finalista do COTY 2018
O júri europeu do “Carro do Ano” acaba de oficializar os nomes dos 7 modelos que escolheu, de entre os 37 automóveis inicialmente elegíveis, e o novo SUV compacto Citroën C3 Aircross encontra-se nesse grupo de finalistas desta prestigiada competição. O “Carro do Ano 2018” será anunciado no dia 5 de Março, em véspera do Salão Automóvel de Genebra. Como acontece todos os anos desde 1964, a Comissão Organizadora da iniciativa “Car of the Year” elege aquele que considera ser o automóvel do ano. São 60 os jornalistas oriundos de 23 países europeus – grupo que inclui 2 jurados portugueses – que participam nesta votação, avaliando os vencedores com base em critérios como a relação qualidade/preço, design, conforto, segurança, tecnologia e desempenho ambiental. O Citroën C3 Aircross integra o grupo dos 7 finalistas e disputa, assim, o galardão de “Carro do Ano 2018”. Com uma morfologia original e transmitindo uma imagem de diferenciação, o novo C3 Aircross, modelo lançado em Outubro último, totaliza já mais de 25.000 encomendas na Europa. O novo SUV francês cativa os seus clientes pelo seu habitáculo, resultante do savoir-faire da Citroën em termos de espaço a bordo, de modularidade e de luminosidade. Oferecendo um elevado nível de conforto e de segurança, o modelo integra 12 tecnologias de apoio à condução e 4 tecnologias de conectividade, para além de ter alcançado uma avaliação de 5 estrelas nos testes Euro NCAP. Com 426.000 unidades matriculadas na Europa no final do primeiro semestre de 2017, representando um aumento de 5,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, a Citroën ultrapassou o seu volume recorde de há 6 anos. Um ano depois do lançamento do novo C3, best-seller da gama Citroën e que totaliza mais de 200.000 vendas desde o seu lançamento, o Citroën C3 Aircross surge como parte do processo de renovação da marca, permitindo que a Citroën prossiga a sua trajectória rumo aos resultados pretendidos. Após nova ronda de testes comparativos entre os 7 finalistas, a realizar até Fevereiro de 2018, o modelo que somar maior pontuação alcançará este prestigiado título, vendo-se depois oficialmente coroado a 5 de Março, na véspera da abertura do Salão Automóvel de Genebra. Fonte: www.garagemglobal.com
Ler mais
23/11/2017
Jumpy é furgão completão da Citroën por R$ 87.990
ACitroën começa a comercializar no Brasil o seu furgão Jumpy. O modelo tem as mesmas características técnicas do irmão Peugeot Expert, ambos fabricados pelo Grupo PSA na Europa e, para o mercado da América Latina, estão sendo montados na fábrica da Nordex em Montevidéu, no Uruguai. O preço inicial é de R$ 79.990 para a versão básica, mas que já vem bem equipada, com controle de estabilidade, auxílio de partida em rampa, airbas duplo, ABS, protetor de cárter, volante e banco do motorista com regulagens, piloto automático, indicador para troca de marcha, rádio AM/FM com entrada para MP3, vidros e travas com acionamento elétrico, tomada 12V e separador de carga. Por R$ 87.990, há a opção da versão Pack, incluindo os seguintes equipamentos: Moduwork (amplia o espaço de carga), ar-condicionado, retrovisores elétricos, plip compartimento de carga (travamento separado das portas de passageiros e de carga), vidros com função um toque, tomada 12V no compartimento de carga, faróis de neblina e encosto do banco central com encosto tipo prancheta). Paulo Solti, diretor geral da Citroën, chama a atenção para o preço competitivo. “A VW Kombi foi o veículo mais competitivo por causa do seu preço competitivo. Se ela ainda fosse comercializada, o seu preço atualizado seria de R$ 68 mil. O Jumpy entrega muito mais, como motor turbo diesel, equipamentos de segurança e maior capacidade de carga por pouco mais que custaria uma Kombi hoje”, compara. Assim como no Peugeot Expert, o Citroën Jumpy é equipado com motor turbo diesel 1.6 Blue HDi com 115 cv de potência e torque de 30 mkgf com tecnologia Euro 6. O câmbio é manual de seis marchas e os freios são a disco ventilados no eixo dianteiro e disco no traseiro. O compartimento de carga tem capacidade para 6,1 m3 na versão de entrada e de 6,6 m3 na Pack, com o opcional moduwork (uma abertura para objetos de até 4,02 m de comprimento sobre o assento do banco do passageiro. O acesso ao espaço de carga pode ser por uma porta lateral deslizante ou pelas portas traseiras que permitem abertura de 180º para facilitar o acesso por empilhadeiras. Estratégia da Citroën Assim como a Peugeot, a Citroën promete um pós-venda diferenciado para o Jumpy, inclusive com preços fixos para revisões e garantia de três anos sem “pegadinhas” como a garantia do Hyundai HR, que não cobre 100% do veículo no período de garantia e conta com várias exceções acrescentada no decorrer do tempo. Chamado de Compromissos Citroën Pro, a marca garante revisão em um dia e prioridade para o Jumpy, facilidade de pagamento de peças e serviços e oito anos de assistência 24h gratuita com reboque. Atualmente, 15 concessionárias Citroën contam com setor de atendimento exclusivo para atendemento de clientes de veículos comerciais. A meta é chegar a 30 cidades com o Citroën Business Center até 2020. Porém, a venda e assistência técnica não será exclusiva desta rede, mas por todas as autorizadas Citroën. Nuno Coutinho, diretor de marketing da Citroën, ressalta que funcionários das 106 concessionárias da marca receberam treinamento para o atendimento do público profissional. Coutinho acrescenta que mais dois furgões serão lançados, o novo Jumper e o compacto Berlingo, além de novas versões do Jumpy. Esses modelos já foram vendidos no Brasil e retornarão no mesmo padrão tecnológico que é vendido para os europeus. O objetivo da Citroën é ter 10% do mercado de furgões no Brasil e, sem dúvida, vender mais do que Mercedes-Benz Vito, que teve 321 unidades emplacadas de janeiro a agosto desde ano. No entanto, tanto Citroën e Peugeot vão buscar também clientes do Hyundai HR que compram o chassi cabine para implementação de baú. O HR é mais barato, porém, com o custo do baú ele fica mais caro do que o Jumpy. Fonte: www.transportemundial.com.br
Ler mais
06/10/2017
Citroën C4 Lounge perde versão manual (e mais barata)
Se você pensava no C4 Lounge Origine, único sedã com motor turbo e câmbio manual do mercado, como uma opção, pode esquecer. Já fora do configurador da Citroën, a versão deixa de ser oferecida, ficando em linha apenas as versões com câmbio automático, Tendance, Série S e Exclusive. A partir disso, os preços do C4 Lounge vão de R$ 89.990 a R$ 99.790. Fabricado na Argentina, o C4 Lounge já roda camuflado pelo país vizinho, escondendo uma leve reestilização exterior – inspirada no modelo vendido na China. Junto com o primo Peugeot 408, é oferecido com motor 1.6 turbo flex, o THP, com até 173 cv. Até então, poderia ser comprado com o câmbio manual de 6 marchas, único do segmento com esta configuração (o Honda Civic Sport usa motor 2.0 aspirado), mas não obteve sucesso. Agora, apenas com transmissão automática. Fonte: arquivo Motor1.com Brasil
Ler mais

Citroën
Mogi das Cruzes
Rua Ipiranga, 1220
Citroën
São Paulo
Avenida São Miguel Paulista, 8479